Notícias

11.05.2018

CDL Blumenau recebe Observatório Social para prestação de contas

Compartilhe: Google+

Na noite da última terça-feira, 8, a CDL Blumenau, durante a reunião da diretoria, recebeu o presidente do Observatório Social de Blumenau (Osblu), Jorge Lobe e o representante da CDL Blumenau no Osblu, Silvio Cesar Justi. Após a apresentação dos membros da CDL, Lobe falou sobre as atividades do Observatório.

CDL Blumenau recebe Observatório Social

No Brasil há cerca de 200 Observatórios Sociais em 20 estados. Em Blumenau, o Observatório foi criado em setembro de 2009 e desde então vem desenvolvendo importantes serviços. Em resumo, o Osblu prima pela correta aplicação dos recursos públicos. “A função do Observatório Social é o controle social do Estado, observando os gastos públicos”, afirmou Lobe, que está presidente desde janeiro de 2018.

Atualmente o Osblu é mantido por entidades, entre elas a CDL Blumenau. Além disso, o trabalho dos integrantes é voluntário. O presidente da CDL Blumenau, Helio Roncaglio, destacou a importância do trabalho do Observatório. “O Osblu é um exemplo e um grande estímulo de como a sociedade precisa participar mais do que é público. Para cobrar é preciso acompanhar e se informar. Sem informação e averiguação, somos reféns do que os gestores públicos nos repassam”, afirmou Roncaglio.

CDL Blumenau recebe Observatório Social

Durante a conversa, Lobe citou vários casos em que o Osblu atuou e, além de gerar economia, garantiu a qualidade dos produtos e o cumprimento do que foi licitado. Lobe explicou que dentro do Observatório há os Grupos de Trabalhos (GTs), que são organizados por temas. “Estes Grupos têm autonomia e recebem apoio do Osblu para observar a correta aplicação dos recursos públicos nos processos licitatórios. Qualquer pessoa pode participar, basta ter disponibilidade para trabalhar algumas horas por semana e não ter filiação ou vínculo político-partidário”, comenta. Para conferir quais são os 13 GTs, CLIQUE AQUI.

Lobe ainda ressaltou que a postura do Osblu não é de embate ou confronto, mas sim de construir uma cooperação para o aperfeiçoamento da gestão pública. “Procuramos seguir um caminho de conversa primeiramente com a prefeitura. Se nessa instância não há adequação do que foi solicitado, acionamos a Câmara de Vereadores e, só então, caso o Osblu não seja atendido, é que acionamos o Ministério Público”, descreve o presidente do Observatório Social de Blumenau.

Para saber mais sobre o Observatório Social de Blumenau e acompanhar as ações, acesse www.osblu.org.br. E para conferir a entrevista com o presidente do Osblu, Jorge Lobe, clique abaixo.

 

Newsletter

©2016 - CDL Blumenau - Todos os direitos Reservados - Desenvolvido por SEDIG.
Topo