Notícias

20.05.2022

Sites falsos x golpes: fique atento e saiba como evitar

Compartilhe: WhatsApp

De acordo com os dados da Aleoesp (Associação dos Leiloeiros Oficiais do Estado de São Paulo), os golpes cometidos através de falsos leilões na internet aumentaram durante a pandemia. Alguns sites estão utilizando com frequência nomes de órgãos importantes.

Entre os nomes utilizados estão as de seguradoras de veículos, departamentos de trânsito nacional, estaduais e municipais, de bancos públicos e de leiloeiros oficiais, causando prejuízos significativos aos compradores.

Desde 2019, 2 mil sites falsos foram identificados. Somente em 2021, foram relatados 1.063 que forjavam leilões, número que é o dobro do que havia sido descoberto em 2020: 510. De 2016 a 2019, 420 endereços virtuais foram localizados. A tendência demonstra que esse tipo de crime vem se tornando mais frequente.

O presidente da associação, leiloeiro Sérgio de Freitas, teve seu nome usado indevidamente para um leilão que não existia. Mesmo com a volta dos leilões presenciais, Sérgio relata que os prejuízos por conta dos golpes, são altos.

Como identificar?

De acordo com o presidente, a associação coloca à disposição para consulta, em seu site a relação de leilões falsos e também a lista de leiloeiros oficiais. Segundo Sérgio, só o leiloeiro oficial inscrito na Junta Comercial tem autorização legal para realizar leilões e receber valores de arrematações.

Em dezembro de 2021, depois de detectar páginas fraudulentas que tentavam simular o Sistema de Leilão Eletrônico oficial da instituição, a Receita Federal publicou um alerta.

No texto publicado, eles esclarecem que os leilões de mercadorias apreendidas pela instituição não são realizados em sites privados, apenas pelo Sistema de Leilão Eletrônico, acessado via site oficial da Receita Federal, sendo necessário possuir certificado digital para participar.

“O pagamento das mercadorias arrematadas em leilão é feito por meio de Darf (Documento de Arrecadação Federal) e nunca mediante depósitos ou transferências para contas de terceiros”, alerta.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

 

Newsletter

Sistema CNDL
©2016-2022 - CDL Blumenau - Todos os direitos Reservados - Desenvolvido por SEDIG

Política de Privacidade
Topo